Destacados
Principais cambios nas prestacións por desemprego (xullo 2012)
Actualizado o 28 de xullo coas modificacions a respecto dos contratos a tempo parcial e a súa compatibilidade coas prestacións

A insurrección siria no seu contexto
Stephen Gowans

Libia e os medios de comunicación "alternativos"

Libia: o Imperialismo e a Esquerda
Stephen Gowans

Khrushchev Mentiu, o libro de Grover Furr agora en inglés

Georgian Times entrevista a Grover Furr

As Tres Bagoas do Mundial

Como en Grecia: érguete e anda

Sete toneladas de Lenin en Seattle

Liberdade Arenas!

Novo couce á Historia: a OSCE aproba declarar o 23 de agosto Día das Vítimas do Estalinismo e o Nazismo

Holodomor:
Falsificando a Historia
Biblioteca
Marxista-Leninista

Textos

Ary Sempre!
28/01/2009



Avante!
Nº1834, 22/01/09

José Carlos Ary dos Santos deixou-nos há 25 anos. No dia 18 de Janeiro de 1984. O seu funeral, realizado dois dias depois, sob intensa chuva, foi o maior que alguma vez um poeta teve em Portugal.

Contou o Avante! de 26 de Janeiro desse ano que «uma multidão ininterrupta» homenageou o poeta, quer na Sociedade Portuguesa de Autores, onde o seu corpo esteve em câmara ardente, quer na romagem até ao cemitério. O cortejo fúnebre, «feito a pé, demoraria duas horas a chegar ao cemitério do Alto de São João, em Lisboa, onde o aguardavam novos milhares de pessoas para o acompanhar à campa rasa que recebeu o corpo do poeta».

As razões de tanta amizade e tanta gratidão revelou-as José Casanova, intervindo no funeral em nome do PCP: «José Carlos Ary dos Santos é o camarada, o amigo, o poeta. Por isso, “foram não sei quantos mil” os que, ontem, na Sociedade Portuguesa de Autores, e hoje aqui, se encontraram com ele para comemorarem colectivamente a camaradagem, a amizade, a poesia: conquistas que, junto com ele, alcançámos e que são tão nossas que comemorá-las e defendê-las é condição indispensável para chegarmos ao futuro.»

Mas não é a sua morte que assinalamos, mas a sua vida que celebramos. Passados vinte e cinco anos sobre o seu desaparecimento, José Carlos Ary dos Santos permanece vivo na lembrança de milhares e milhares de portugueses e, de forma muito especial, nas memórias e nos corações dos militantes comunistas que com ele conviveram, que com ele foram protagonistas das múltiplas batalhas de que é feita, todos os dias, a luta pelos ideais de justiça social, de liberdade, de fraternidade.

Exemplo do intelectual que tomou partido, Ary dos Santos fez a sua opção política e de classe e o talento era a sua maior arma. Nos seus poemas, fundamentalmente aqueles que foram escritos entre 1974 e 1984, está a Revolução, de que foi, sem dúvida, o maior cantor. Lá está a festa e a alegria, a fraternidade e a camaradagem, a consciência revolucionária e a determinação de luta, a arte e a cultura, a justiça social e o progresso. Lá está tudo o que Abril mostrou ser possível.

De então para cá, nestes 25 anos que passaram, a luta continuou: com as armas que temos na mão prosseguimos o combate procurando impedir que os ventos do passado cerrassem as portas que Abril abriu.

E assim continuará a ser: com o poeta a dizer-nos que isto vai, meus amigos, isto vai – e nós a sabermos que, de facto, «isto vai», mesmo que não vá como e quando queremos – numa concordância absoluta que resulta da simples razão de um poeta militante ter sabido traduzir na sua obra, de forma transparente, com um talento singular, com a força dos seus ideais e das suas convicções, os anseios mais profundos do seu povo.

Ler máis

1 Comments:
  • At 1/31/2009 02:51:00 da manhã, Blogger Aphonso de Medeiros said…

    Muito bom esse blog.
    Parabens!
    Recomendo outro sobre o debate do marxismo-leninismo e sobre a crise estrutural do capitalismo, onde encontramos algumas liçoes dessa crise para a nossa luta:
    http://cemflores.blogspot.com/2009/01/algumas-lies-da-crise-para-nossa-luta.html

     

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

<< Início
 
Contacto
Música ESONS
Última actualización (13/09/12):
Il Nostro Rancore, Trade Unions
Poesia VERSOS DE COMBATE
Última actualización (24/8/12):
Amencer, Florencio Delgado Gurriarán
Tradutor-Translator-Переводчик-Übersetzer
Arquivo
Pesquisas

ENP Estoutras Notas Políticas. Resolución 1024x768
ecoestadistica.com